25 de dezembro de 2008

Autorretrato

nina33 


Este autorretrato é “inspirado” na página de um jornal de circulação no estado.

  • Qual a tua ideia de um domingo perfeito?
Em casa, sem nada para fazer!
  • Quem gostarias de ser se não fosses tu mesma?
Alguém menos ansiosa, menos perfeccionista…
  • Onde gostarias de viver?
Num lugar menos desigual…
  • Um gosto inusitado…
Tomar café da manhã ao meio dia…
  • Tens medo de quê?
Que aconteça alguma coisa ruim para meu filho…
  • Em que situação perdes a elegância?
Não sou elegante…
  • Que música não sai da tua cabeça?
“Years of solitude”, de Astor Piazzola e Gerry Mulligan.
  • Que filme sempre queres rever?
“E assim caminha a humanidade…”, a personagem de James Dean me fascina…
  • Um hábito de que não abres mão…
Tomar dois banhos por dia!
  • Um hábito do qual queres te livrar…
Dormir só depois das três da manhã…
  • Quem levarias para uma ilha deserta?
Meu marido, meu filho e um e-book com os nossos 200 livros preferidos…
  • E quem deixarias por lá?
A ilha ficaria bem povoada: @s que pensam que o sistema econômico em que vivemos dá chances iguais para tod@s e quem não consegue viver melhor é porque não se esforça…
  • Qual a maior qualidade?
Sou uma boa parceira: quando me envolvo em algum projeto, tento fazer da melhor maneira possível…
  • Qual o maior defeito?
Uso a ironia como arma!
  • Qual tua lembrança mais remota da infância?
Minha irmã e eu tomando mate com leite na casa de meus padrinhos lá fora.
  • O que gostarias de ser quando crescesse?
Professora; sem graça, né?!
  • Qual tua ideia de felicidade?
Estar em paz…
  • O que dispara teu lado consumista?
Livro… adoro ter o objeto livro: muitas vezes, nem leio…
  • Quais tuas heroínas na ficção?
Sinhá Vitória, de “Vidas secas”, de Graciliano Ramos e Ana Terra, de “O continente”, de Erico Verissimo.
  • E as tuas heroínas na vida real?
Minha mãe, ela aguenta cada tranco…
  • Uma frase:
São versos de Thiago de Mello, no poema “As ensinanças da dúvida”:
“Agora (o tempo é que o fez)

tenho um caminho de barro

umedecido de dúvidas.

Mas nele (devagar vou)

me cresce funda a certeza

de que vale a pena o amor.”

2 comentários:

Fatima Cristina (www.fccdp.com) disse...

Oi Suely,

Adorei ler seu Autoretrato!

Também tenho uma tentativa de "Autoanálise" no Boa Baltazar. Leia quando estiver menos assoberbada...rsrsrs...

Abraços,
Fatima

Fatima Cristina (www.fccdp.com) disse...

Link para a Autoanálise:
http://fccdp.blogspot.com/2009/01/auto-anlise.html