21 de julho de 2009

Ah! o amor! (mais uma parte: microrresenhas)

palito18 
Os problemas da escrita não decorrem (tanto) da falta do domínio das regras gramaticais. A competência comunicativa na produção textual implica outras variáveis que ultrapassam os domínios prescritivos, normativos que se aprendem na maioria das vezes nos livros, no ensino formal. Importa sobretudo que o texto seja coerente, coeso, ajustado ao contexto de comunicação, informativo quanto do conteúdo e surpreendente quanto à forma e em diálogo com outros textos.

     A competência textual, que se evidencia mediante o domínio desses fatores de textualidade, não se desenvolve simplesmente pelo próprio exercício da escrita, por tentativa e erro, em treinamentos, em livros-texto ou nos bancos escolares. Na verdade, internalizamos os recursos de expressão de que necessitamos para escrever através da leitura (inteligente), da leitura que decodifica o texto em sua forma, ultrapassando sua superfície e o interesse apenas por seu conteúdo
(grifo meu!). (Prof. Me. Gilberto Scarton)

Por isso, lemos muitas resenhas de diferentes objetos culturais – livros, filmes, peças de teatro, shows, exposições de arte –, publicadas em jornais e revistas.

E começamos a resenhar, instigando @s colegas, desafiando-@s a ler as obras e a assistir aos filmes!

Usamos como  referencial teórico os  textos Guia de produção textual – assim é que se escreve,  de autoria do Prof. Me. Gilberto Scarton, da PUC-RS e Como fazer uma resenha, do blog Lendo.org, do André A.  Gazola.


E aí resolvemos brincar e ousar um pouquinho, inspirad@s na  proposta do professor Sérgio Lima, no Edublogosfera:

Se puderem*, assistam o filme: "Entre os Muros da Escola" aí na sua cidade/cinema preferido e ao final gravem no celular (em torno de 3 minutos, não mais do que isto!) sua análise/mini-resenha/impressões viscerais/etc sobre o filme.
Quando puder, suba pro youtube e publique no seu blogue com a etiqueta/ tag #entre-muros-da-escola-edublogosfera.

Depois de assistir a Houve uma vez dois verões, de Jorge Furtado – um dos textos que usamos no projeto sobre o amor -, gravamos uma microrresenha ou uma análise ou as impressões sobre o filme, usando uma câmera digital.
 
Aqui está o resultado:

 
------------------------------------------------------------------------------------------------
* Nós não pudemos! Infelizmente o filme chegou por aqui junto com a gripe! Estávamos prontos para assistir a Entre os muros da escola (e para gravar as microrresenhas nos celulares e nas câmeras), mas a gripe H1N1 nos impediu. A equipe diretiva  da escola  e @s professores (as) decidiram não levar @s alun@s ao cinema por causa do “perigo” da gripe…
 
Aqui, nos pagos, todo mundo está aflito por causa da disseminação do vírus, dos casos confirmados, das mortes, da proximidade com a Argentina, do frio, da falta de informação…

2 comentários:

Biosfera disse...

Interessante sua proposta de trabalho!

Parabéns pela iniciativa, o uso das novas tecnologias na escola é um tema ainda controverso por aqui, mas você já superou, muito legal.

Abração

Visite-nos

Lenira, Deolinda, Claudiane, Vanda disse...

Olá Suely! Muito interessante mesmo essa proposta dinâmica que desperta os sentimentos e envolve todos numa rede de pura aprendizagens.

As ideias postadas aqui em teu blog, enriquecem muito essa blogosfera alimentando nossa vontade de irmos além nessa árdua e magnífica tarefa de ensinar/aprender sempre.

Somos caminheiros nessa incessante
busca. Juntos caminhamos fortes. E vencermos essa Influenza. Muito importante o cuidado que vocês estão tendo, prevenção é tudo. Agora vou ver o vídeo.

Bjus amiga.