5 de julho de 2009

Ah! o amor!

blankand002644
Desde o final de maio nós - turmas 11 A e 11 B, do curso normal -  temos falado, lido, refletido sobre… ah! o amor!
 
Tudo começou com  um jogo que envolvia a descrição de um sentimento… a maioria escreveu sobre o amor… e com a criação coletiva da História de Ângela – uma história de amor!
 
Então, veio a ideia de examinarmos o amor na literatura. Cada grupo leu  poemas  de um autor -  Álvares de Azevedo, Gonçalves Dias, Castro Alves, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Vinicius de Moraes, Affonso Romano de Sant’Anna, Elisa Lucinda – e partilhou com os colegas!!!
 
Enquanto isso, nas aulas, íamos observando  as expressões de  amor em diferentes formas e comparando as linguagens:

Pequena ousadia: no dia 12 de junho, organizamos um espaço no saguão da escola: Recadinhos do coração! Estávamos ansiosos: será que a gurizada  participaria?! Foi um sucesso! Todo o turno, ensino médio e curso normal, interagiu, movido pelo amor, pela alegria!!!

Para fazer a amarração, assistimos ao filme Houve uma vez dois verões, de Jorge Furtado!


 
Então, tendo como inspiração a proposta do professor Sérgio Lima  (que descobri num post no blog da  Suzana Gutierrez!), no Edublogosfera , gravamos  microrresenhas, expressando o que sentimos, pensamos e etc e tal …
Depois, mostro o resultado!

7 comentários:

Lenira, Deolinda, Claudiane, Vanda disse...

Olá Suely! Devem ter sido muito interessantes mesmo esses momentos pela forma da abordagem. Por aí a gente vê a importância da motivação em qualquer projeto e como o retorno é positivo. Vou adorar conhecer outros detalhes deste trabalho.

Parabéns querida, é de ações assim que a nossa Educação carece.

Bjus...

Lenira

covildoorc disse...

Só isso??? Tá faltando muita coisa aí!!! Cadê o amor de Renato Russo (rei), Roberto Carlos, Djavan e Peninha??? Faltou muita música no seu trabalho, dona Suely!! hehe

Mas brincadeiras à parte, faltou a ironia de Quintana:
"POEMINHA SENTIMENTAL

O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas...
De vez em quando chega uma
E canta
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
Canta e vai-se embora
Outra, nem isso,
Mal chega, vai-se embora.
A última que passou
Limitou-se a fazer cocô
No meu pobre fio de vida!
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
As andorinhas é que mudam."

Adoro esse!!!

To ansioso para ver as gravações!
Aliás, meu filme já está no Covil, jutamente com uma página especial totalmente dedicada a ele na categoria "Profissional/Acadêmico".
Não deixe de conferir! Abraços!

Alcir Martins disse...

Oi SU!
saudades..
grande abraço...

Patrícia disse...

Amei muito tudo isso, Suely!
Parabéns pelo teu trabalho!
Abraços!

Fátima disse...

Oi,Suely:
parabéns pelo projeto sobre o amor.Obrigada pela visita ao blog e pela gentileza sobre a palestra.Bom saber que foi útil.
Abs

Poeta Jorge Henrique disse...

Minha querida Suely, em primeiro lugar, gostaria de dizer da imensa satisfação de poder contribuir de alguma forma com seu projeto. É uma alegria quando vemos que aquilo que escrevemos ganha vida própria e segue conquistando leitores.
Gostei demais de sua proposta de trabalho e dos frutos que já produziu. Estou ansioso por ver os resultados, sobretudo as microrresenhas.

Um forte abraço e sucesso, mais sucesso!

Luciana disse...

Oi Suely!
Nosso Curso só cresce com a tua presença e o teu trabalho.
Que belo presente recebemos!!!!


Beijo com admiração
Lu Bilhalba