1 de janeiro de 2013

Sobre felicidade...



Passados os fogos, os brindes, as mensagens...

E eu aqui, feliz ;) , ouvindo O que você quer saber de verdade e atualizando a página do Elisa no Facebook... (Aliás, essa tarefa vai me acompanhar em 2013, pois página sem movimento, não tem razão de ser, né?!)

Pensei:  vou postar um trecho de Seja feliz...

Uma música bem bacana pra começar o ano e tals...

Fui buscar imagens, no Google, para ilustrar a ideia de ser feliz...

Será que somente pulando muito, festejando muito, rindo muito, bebendo muito... somos felizes?

Não tenho pulado tanto, nem festejado tanto, nem bebido tanto, mas estou, na maior parte do tempo, em paz... feliz (?!)...

Que as propagandas e as novelas me desculpem,  mas me sinto bem  lendo ou conversando; ouvindo músicas ou  silêncios; escrevendo ou assistindo a um filme; sozinha ou acompanhada; comendo ou comprando; arrumando a casa ou caminhando pela rua; dormindo ou discutindo; abraçando ou chorando; xingando ou ...

Conheço algumas pessoas que passam a vida atrás da felicidade hiperbólica... tão infelizes...

E tudo é súper simples, como diz Marisa...

Seja gentil
Com sua figura
Seja gentil
Sem frescura
(...)
Tão curta a vida
Curta a vida


6 comentários:

Sérgio F. Lima disse...

Boa Suely

Ótima mensagem para começar o ano... essa paranóia da felicidade em tempo integral faz mais mal que bem.

Ótimo 2013 com mais dias felizes que não felizes para todos nós :-)

Isabel Moraes disse...

Ficamos tão obstinados na busca de felicidade, de ser feliz, de chegar lá... que muitas vezes nos afastamos do mais óbvio, a simplicidade, o pequeno detalhe, um olhar, um toque, tudo que faz nosso dia valer a pena e ser feliz.

Suely Aymone disse...

Oi, Sérgio!

Na verdade, tenho medo dessa felicidade que é vendida por aí... :P

Abs

Suely Aymone disse...

Oi, Isabel!

É isso: simplicidade...
Ah, e sem data marcada, né?!
Bjs

Anônimo disse...

SUELY as pessoal estão tão envolvidas nas coisas materiais que se esquecem de serem felizes com oque realmente é importante ,que é viver o hoje e esperar o amanhã.bjs ALDA

Suely Aymone disse...

Alda, minha querida!
Que te receber aqui!
Com certeza, a gente precisa valorizar o ser ( os seres) e não o ter!
Acho que um dos nossos papéis como profes é debater essas relações que a sociedade baseada no consumo nos impõem.
Beijos