13 de fevereiro de 2013

Eu prefiro os blogs


Como vocês "enxergam" o uso dos blogs como ambientes de aprendizagem? Ou será que precisamos de recursos mais robustos do tipo do moodle?
Abro parênteses.

Remexendo os rascunhos do Ufa!, resgatei essa provocação que a Miriam fez no grupo Seminário WebCurrículo (PUC-SP) e que havia guardado para responder mais tarde...

Se passaram quase três meses... ô tempo...

O mais punk foi encontrar a conversa que rolou por lá (Facebook)... perdida no limbo da enxurrada de conversas... isso que esse grupo nem é tão movimentado assim...

Fecho parênteses.

No TCC da especialização Tecnologias em Educação, apresentei um projeto fundamentado no uso de blogs, wikis e lista de discussão na formação inicial de professores (alunos do ensino médio - curso normal). A minha intenção  era (é!) que os futuros professores vivenciassem, durante o curso, a autoria, a partilha e a troca de ideias, ampliando, dessa forma, a presença online.

O professor, que avaliou a apresentação, me perguntou se eu já havia pensado no moodle...

Não. Não havia pensado no moodle.

Primeiro, porque só usei o moodle como aluna... quer dizer, não sei sobre instalação, hospedagem e outras coisas... o pessoal diz que é bem intuitivo...

Ainda por cima, como aluna, minhas impressões não são muito boas: acho confusos os fóruns e o acesso me incomoda: em geral, os cursos são fechados. Quando abertos, a interação é escassa.

Ainda: o professor de educação infantil e de anos iniciais (formação em que atuo) vai usar o moodle com as crianças? ou para publicar os projetos que desenvolve? ou para partilhar as reflexões sobre as práticas?

Prefiro os blogs. 

Já contei muitas vezes: comecei o Ufa! só para aprender a mexer na ferramenta (a parte mecânica da coisa!) e, depois, propor alguma atividade para os alunos. Achava que isso bastava para ser inovadora...

Mal sabia da minha pequena transgressão: uma professora virando blogueira, descobrindo a autoria e, o melhor,  encontrando tanta parceria buena!

O permanente desafio é contaminar alunos e colegas, para que percebam a web não só como fonte de informação, mas como possibilidade de aprender junto com pessoas de outros lugares, numa conversa bacana em que se divulgam e partilham projetos, para serem debatidos, repensados, qualificados colaborativamente.

Quer dizer, essas pretensões cabem em blogs. :)


*** *** *** *** *** ***

No grupo de estudos que coordenei em 2011, no Elisa, há textos que me ajudam:
E há os textos dos amigos blogueiros que dizem melhor ainda:
                                                              *** *** *** *** *** ***
  • Atualização 1
Nossas conversas estão muito bacanas! Enquanto eu publicava aqui, a Marli fazia o mesmo no Blogosfera Marli: 5 blogs que resistem à efemerização das conversas. :)


  • Atualização 2
Tempo não é preciso, blogar é que é preciso :-) Sérgio Lima (em comentário no 5 blogs que resistem à efemerização das conversas)

Nada convence como o exemplo e nada resiste ao afeto. Marli Fiorentin (em conversa na tl do Zé Roig, no Facebook)


  • Atualização 3

Blogo, logo existo!, desta vez é a Tatiane Martins qualificando o papo sobre a "efemerização das conversas".

(Em permanente construção!)


9 comentários:

Sérgio F. Lima disse...

Opa Suely

Simplicidade é tudo, ou se preferir, menos é mais, também em educação!

Para o Professor que está na sala de aula real, gerenciar o blogue é bem mais fácil que o Moodle.

E que realmente importa: publicar, conversar, e achar as conversas, o blogue dá conta.

Então, concordo contigo, prefiro os blogues :-)

abs

Marli Fiorentin disse...

Suely!

Olha só a sintonia! Acabei de escrever um post no meu blog e vim aqui te convidar para visitá-lo e encontro tua postagem que toca no mesmo assunto. kkkk Também prefiro so blogs e nem vou dizer porque. É óbvio! Vai lá: http://blogosferamarli.blogspot.com.br/2013/02/5-blogs-que-resistem-efemerizacao-das.html BJ!

Vanessa Gonçalves Vieira disse...

Nem preciso falar que tenho a mesma ideia né!!! Também utilizei o moodle como aluna é achei um espaço frio. Os blogs nos deixam mais perto. É mais caloroso e a interação flui!

Veja, eu aqui no Rio podendo ler abertamente um post seu, sem ser tua aluna ou colega de classe!!!

Muito bom mesmo!!!

UM beijo enorme pra ti
Suely!

Sempre bom te ler!!!!

Suely Aymone disse...

Oi, Sérgio!

Aprendi contigo esse mantra: menos é mais! :)

Me chama a atenção como algumas pessoas se encantam com as novidades digitais e se atiram de cabeça... como se fossem (as novidades) a salvação para o desinteresse dos alunos em sala de aula...

Daqui a uns dias, o governo do estado vai entregar tablets aos professores... ai, ai, ai... medo!

Conversamos...

Bjs


Suely Aymone disse...

Oi, Marli!

Que legal!

A gente na mesma reflexão hehehheh

O mais legal é que a gente vai aprendendo junto...

Já vou atualizar o texto daqui com um link do teu!!

Bjs

Suely Aymone disse...

Oi, Vanessa!

Isso mesmo: a gente se encontra, nos blogs, com mais facilidade e com mais alegria. Ficamos amigos, nos ajudamos, aprendemos...

Obrigada pela parceria!

bjs

Marli Fiorentin disse...

Sério, gente, é muito legal a gente se reencontrar novamente nos blogs. Adoro vocês!

Paulo Francisco Slomp disse...

Olá Suely.

Sobre o Moodle: é software livre e gratuito e na maioria das instalações está configurado para permitir a visualização e edição apenas para pessoas autorizadas (professores e alunos de uma turma) através de senha.

Na UFBA, por exemplo, é diferente. O professor da Faculdade de Educação Nelson Pretto disponibilizou para visualização no Moodle os conteúdos da disciplina EDCC10: TEE - Ética Hacker e Educação (semestre 2011/2) http://www.moodle.ufba.br/course/view.php?id=12004. Por email, ele me disse que solicitou essa possibilidade de configuração do Moodle ao CPD/UFBA e foi atendido, permitindo assim que todos os professores daquela universidade possam fazer essa escolha, tão somente através de um clique na opção do curso "Permitir a visualização para todo e qualquer internauta".

Abraços.

Suely Aymone disse...

Oi, Paulo!

Acho bacana a "ideologia" do moodle - software livre e gratuito...

Mas os usos que os cursos (de universidades ou não) fazem dele, não seguem essa linha... em geral fechados...

Legal tua dica sobre a disciplina do professor Nelson Pretto! O tema é apaixonante! Com certeza, vou me deliciar lendo o que ele propõe ali! Seria muito contraditório se o professor Pretto não batalhasse por deixá-la aberta!

Mas ele é, ainda e infelizmente, uma excessão, né?

Abraços!